Como cuidar da nossa saúde mental em tempo de Quarentena

Encontras-te isolado ou a trabalhar a partir de casa? Aqui estão algumas maneiras de melhorar a tua saúde mental enquanto te encontras em quarentena.

O surto de corona vírus foi oficialmente declarado uma pandemia pela Organização Mundial da Saúde (OMS) na semana passada e são cada vez mais as pessoas em toda a Europa e no mundo que estão a ser instruídas para trabalhar a partir de casa ou que até nos casos mais extremos está a ser obrigados a ficar em casa para impedir a propagação do vírus que está a virar o mundo tal como o conhecemos de “pernas para o ar”. 

Com isto em mente, temos algumas dicas de especialistas sobre como manter o controlo de nossa saúde mental enquanto nos encontramos “presos”.

Sendo muitos de nós pessoas ocupadas, o pensamento de um período de auto-isolamento até soa bem, muito bem mesmo. Imaginem só o sono em atraso que poderemos pôr em dia, aquela limpeza profunda que finalmente podemos fazer lá em casa, finalmente ter tempo para imprimir aquelas fotografias que sempre quisemos emoldurar. Contudo a realidade pode ser bem mais sombria do que aquilo que muitos de nós pensamos.

 

Tudo isto pode parecer uma simples mudança ao qual nos podemos adaptar, mas quando se trata da nossa saúde mental, até uma pequena mudança nas nossas rotinas diárias tem o risco de se vir a tornar um grande problema nas nossas vidas. Acrescentem isto ao facto de termos de estar isolados, por um período indeterminado de tempo, longe daqueles que mais amamos e “voilá”… estão juntos os ingredientes para o verdadeiro descarrilar da nossa saúde mental. 

Obviamente, é importante que todos sigamos os conselhos da OMS e do governo para nos mantermos em isolamento, mas também é importante estar ciente das possíveis implicações que isto poderá vir a ter na nossa saúde mental - e como tal, devemos tomar medidas para a proteger.

 

Com isto em mente, aqui estão algumas maneiras de melhorar a nossa saúde mental para o caso de nos encontrarmos sozinhos e em ambientes fechados.

 

 

1. Organiza o teu espaço

É tal e qual como o que costumamos ouvir “casa arrumada, mente arrumada”! 

Mas vamos ser honestos - a organização pode parecer assustadora e avassaladora. Não há necessidade de limpar a casa toda, talvez devam começar por experimentar e escolher  apenas uma pequena área da vossa casa, e depois partir para outra. 

Organizar os nossas espaços ajuda-nos a aliviar o stress e melhora o nosso humor - além do mais, a sensação de satisfação de trabalho feito é inigualável.

 

 

 

2. Procura conforto nos que te são mais próximos 

Sermos capazes de comunicar e de nos envolver com os nossos entes queridos é uma parte importante da vida quotidiana que muitos de nós consideram adquirida. 

Para quem está isolado, é importante manter o contacto com os que lhes são mais queridos, mas sempre pela via tecnológica. Ainda bem que existem aplicações tais como o skype e o watsapp, para manterem a nossa saúde social na linha.Se tiverem um ou mais animais de estimação, também poderão passar algum tempo com eles, pois eles podem ser ótimos estimulantes do nosso humor. Contudo se tiverem já testado positivo e estiverem a apresentar qualquer sintoma, nesse caso deverão manter a distância dos vossos animais de estimação dado ainda não se ter percebido na totalidade de que maneira o vírus pode afetar os nossos companheiros de quatro patas.

 

3. Faz um curso online

Graças ao maravilhoso mundo que é a Internet, há tantas habilidades e o outros talentos que podemos aprender e desenvolver a partir do conforto da nossa própria casa. O tempo extra que temos, pode ser agora usado a nosso favor. Porque não desafiarem-se para começar a aprender uma nova língua para aumentar as vossas possibilidades de networking para o futuro?

Ou até para os mais “techys”, porque não começar a aprender o básico da codificação para oferecer uma melhor compreensão da web ou até aprender uma nova técnica de arte apenas por diversão.

Participar num curso on-line é uma ótima maneira de estimular as nossas mentes e de desenvolvermos algumas das nossas curiosidades. 

Obviamente, uma das principais razões pelas quais muitos de nós usamos os cursos on-line é para desenvolver habilidades que nos contribuirão mais tarde para as nossas carreiras. Mas, de acordo com um novo estudo divulgado pelo think-tank Demos, mais de três quartos das pessoas que aprendem on-line (77%) reconhecem bem mais benefícios para o seu bem-estar pessoal e saúde mental. Cultivar a curiosidade pode ajudar a melhorar o humor, restaurando uma sensação de calma, aumentando a criatividade e desenvolver uma mentalidade empreendedora. Existem muitos cursos gratuitos disponíveis para satisfazer a nossa curiosidade. Assistir a uma tutorial do YouTube também é uma versão válida da aprendizagem on-line.

4. Mantém-te ativo

Poderão estar limitados no que diz respeito à quantidade de exercício que poderão fazer se estiverem “presos” ou mesmo a trabalhar a partir de casa, mas ainda assim é muito importante movimentarmos o nosso corpo.

O movimento pode realmente ajudar a superar os níveis de stress e a proporcionar-nos um momento de felicidade instantâneo. 

Aproveitem os mais espetaculares vídeos de HIIT que circulam na internet, ou até os vídeos transmitidos pelos teus ginásios locais ou grupos de fitness, pratica ioga ou simplesmente faz alguns alongamentos, tudo isto ajuda a acelerar o fluxo sanguíneo e a melhorar rapidamente o nosso humor e estado de espírito.

5. Apanha ar fresco

Se estiveres em quarentena e não apresentares sintomas, é importante sair para passear ou correr pelo parque mais próximo ou ao virar da esquina. Infelizmente, isso pode ser mais complicado se você estiver apresentando sintomas, já que não será aconselhável sair de casa. Se forem sortudos o suficiente para ter uma varanda ou jardim, é importante exporem-se à luz solar e apanhar ar fresco; se não for possível,  verifiquem pelo menos que o vosso quarto está sempre bem ventilado. Às vezes, as coisas mais simples são as mais eficazes, e esse é definitivamente o caso quando se trata de respirarmos fundo umas poucas de vezes. A respiração profunda inunda os nossos sistemas com hormonas que nos tornam mais felizes, também conhecidas como as endorfinas, enganando assim o nosso cérebro para nos fazer sentir instantaneamente mais calmos.

 

6. Relaxa com a Netflix (de forma responsável)

Quantos de nós acabamos de iniciar uma série e não a terminamos antes de sermos logo atraídos para assistirmos a uma outra série com um trailer bem tentador?

Então, por que não usarem o vosso tempo extra para terminar aquela série que já andam a ver aos poucos há mais de um ano?

Enquanto assistir à Netflix pode parecer sempre uma ótima maneira de relaxar e de fazermos um “reset” das nossas mentes, também nos devemos lembrar de não assistir a algo que não vá piorar a nossa saúde mental.

Portanto vamos a isso, escolham os vossos pijamas mais fofos, vão buscar o edredon mais afável que lá tiverem por casa e aninhem-se.

Contudo, assim como a TV pode melhorar o nosso humor, também nos poderá fazer sentir ainda piores com nós próprios.  Portanto, vamos lá ter cuidado com aquilo a que assistimos e deixar aqueles thrillers apocalípticos e escuros para outra altura. Escolham algo mais alegre, vibrante e cómico.

7. Começa um novo hobby

Com os vínculos positivos entre a criatividade e o bem-estar mental a tornarem-se cada vez mais claros, poderão sempre explorar a riqueza das atividades criativas. Pintar, desenhar, tricotar, cozinhar, jardinar, basta darem largas à vossa imaginação e usarem bem o vosso tempo para se dedicarem aquela paixão que sempre tiveram, mas que a falta de tempo não vos tem permitido desenvolver.

As crianças adoram sentirem-se envolvidas, porque não usarem o youtube como inspiração e envolverem-se com a pequenada num novo projeto lá para casa? Basta darem largas à vossa imaginação.

8. Faz Biblioterapia

Já todos sabemos que podemos sempre encontrar conforto, consolo e ajuda nas páginas de um livro, e são mesmo muitos os estudos que confirmam que a leitura pode ser benéfica para o nosso bem-estar mental. A biblioterapia, consiste simplesmente no uso de livros para a terapia. Não serve para substituir um tratamento médico, mas sim para o complementar. Na verdade, acaba por ser uma reinvenção de uma ideia tradicional, os gregos antigos, por exemplo, já usavam na altura a poesia como terapia para a mente. Os livros têm o poder de nos levarem a um lugar diferente, podem-nos ajudar a acalmar e a relaxar, assim como também nos podem fornecer sabedoria, humor ou ambos. São mesmo muitas, as evidências que apoiam a ideia de que os livros nos podem curar, consolar e melhorar o bem-estar.

Um estudo de 2013 publicado na revista Clinical Psychology & Psychotherapy envolveu 96 pacientes com depressão leve. Aqueles que receberam um livro para ler tiveram melhoras significativas nos sintomas de depressão, em comparação com aqueles que não receberam o tratamento de biblioterapia. Também há evidências de que, uma pessoa que seja um leitor ávido, possa vir a ter uma vida mais longa. Um estudo realizado em 2016 na Escola de Saúde Pública da Universidade de Yale descobriu que as pessoas que lêem livros regularmente apresentaram uma redução de 20% no risco de morte até 12 anos, em comparação com aqueles que não ligam nenhuma aos livros. 

Vamos lá viver mais uns anos com a ajuda da leitura, e claro que se não tiverem nada que vos interesse para ler lá em casa, poderão fazer sempre o bom uso das lojas online para comprar um livro que vos entusiasme e que acima de tudo, não seja muito deprimente. Boas leituras!

Texto: Exposer Magazine 

Fotografia: getty images