costa1_edited.jpg

O Top dos destinos para as viagens sustentáveis...

Vamos lá celebrar os destinos de férias, estabelecendo novos parâmetros de referência, ao destacarmos os aspectos ambientais específicos de cada um e ajudar a tornar o mundo num lugar melhor tanto para as pessoas como para o planeta, enquanto também prometemos as mais espetaculares férias para os viajantes eco-conscientes.

butão.png

Turismo com pegada quase mínima e de alto valor

Butão, o último reino budista remanescente, no Himalaia, é o único país do mundo com emissões de carbono negativas e é o modelo de uma abordagem de "menos é mais" ao acolhimento de visitantes. Como o turismo está tão cuidadosamente regulamentado, aqueles que estão preparados para pagar o prémio de estadia estão entre os poucos sortudos a serem acolhidos numa comunidade compassiva e inclusiva, onde existem poucas barreiras entre os hóspedes butaneses e estrangeiros. No meio de florestas verde-esmeralda e vales glaciares, não há como se desviar do modo de vida autêntico e antigo do país, e ainda por cima com a consciência tranquila de to de saber que o seu impacto ambiental é mínimo.

tanzania.png

 Um dos melhores destinos de safari em África

A Tanzânia é um dos destinos de eco-turismo da África sub-saariana. Desde os corais imaculados da ilha de Chumbe até às encostas imponentes do Monte Kilimanjaro, a Tanzânia está cheia de maravilhas naturais, bem como de novas medidas de protecção e de reflorestação.

Os grandes hotéis de caça e estâncias balneares de betão ecológico foram construídos há muitas décadas sem se pensar muito no seu impacto para o ambiente. Mas hoje em dia, novos resorts estão a ser construídos de forma a poderem ser completamente removidos e a não deixarem qualquer vestígio definitivo no território. 

Sendo o lar de sete locais do Património Mundial da UNESCO e quarenta parques nacionais e reservas de caça, a Tanzânia é uma terra de beleza natural intacta com pessoas amigáveis e mais experiências selvagens que irão mudar as nossas vidas.

eslovénia.jpeg

Paisagens perfeitamente preservadas

Este pequeno país da Europa Central, com a sua paisagem montanhosa digna de aparecer nas caixa de chocolate e aldeias de conto de fadas medievais, tem uma responsabilidade no que diz respeito à conservação. A sua capital, Ljubljana, que pode ser percorrida a pé e que é bastante acolhedora, foi durante muito tempo um sucesso para quem procura uma pausas ecológicas numa cidade. Mais de um décimo da sua paisagem rural ondulante é formalmente protegida, abrangendo os picos alpinos as, florestas antigas, o planalto de Karst, as vinhas, as águas termais das planícies panónicas e o troço de 29 milhas de costa do Adriático. Vale a pena consultarem o programa de turismo verde da Direcção de Turismo da Eslovénia para se aventurar nos locais de acolhimento e acampamento mais verdes que o país tem para oferecer.

finandia.jpeg

Energia limpa e o ar mais fresco

Quase 80% do território da Finlândia é floresta; os seus lagos estão entre os mais limpos e o seu ar entre os puros do mundo, de acordo com a Organização Mundial de Saúde. Aplaudimos também o facto da Finlândia ter  ter lançado o seu programa Finlândia Sustentável. Este guia do painel do turismo elaborou um plano para ajudar os visitantes a preparar as escapadelas mais ecológicas e a envolverem-se com a natureza e a cultura local, sabendo que cada passo da sua estadia foi analisado através de uma lente económica, ecológica, social e cultural. A Finlândia também é considerada uma heróina no Environmental Perform Index de Yale, que classifica 180 países em termos da saúde ambiental e vitalidade do ecossistema; além disto, a capital, Helsínquia, é a cidade que até ao momento assumiu o maior compromisso com a sustentabilidade, no que diz respeito aos transportes públicos, que já funcionam maioritariamente com electricidade produzida por água e energia eólica.

guiana.jpeg

As melhores práticas de turismo sustentável

Este pequeno país sul-americano é um verdadeiro paraíso para os eco-turistas, com cascatas gigantescas, praias de tartarugas marinhas, e alojamentos em florestas tropicais geridos por tribos indígenas. O Guiana tem feito um esforço considerável nos últimos anos, não só para desenvolver um novo e inovador turismo ecológico, como também para educar o mundo sobre o seu profundo empenho em maximizar os resultados sócio-económicos e de conservação positivos do turismo.

palau.jpeg

Onde os turistas assinam um compromisso ecológico

Em 2017, esta ilha do Oceano Pacífico foi o primeiro destino em do mundo a insistir que os seus visitantes assinassem um compromisso ecológico voluntário prometendo ser bons convidados ambientais durante a sua estadia, através de um carimbo de passaporte. Até que todos os países introduzam isto, terão sempre um lugar de topo no nosso coração para estabelecer esta referência. Paloma Zapata dirige a Sustainable Travel International, uma organização dedicada à protecção dos destinos e à preservação dos ambientes naturais, e elogia o Palau pela sua conservação da terra e do mar. Zapata faz uma comparação com outros destinos insulares que seguiram modelos turísticos antiquados e que nos anos 80 permitiram que vários arranha-céus fossem construídos nas suas praias, causando uma grande erosão costeira e destruindo preciosas áreas de mangais que são eficazes absorventes de carbono. Saudamos o Palau por ser atencioso para com as suas comunidades locais e por facilitar aos viajantes o tratamento respeitoso do seu país.

ruanda.jpeg

O Melhor programa de proteção da vida selvagem

O Ruanda merece uma vénia por ter salvo o gorila selvagem de montanha da extinção, pois desenvolveu um enorme esforço para salvar este fantástico animal que se encontrava em perigo de extinção após décadas de caça furtiva e destruição do habitat. A sua população está lentamente a aumentar em resultado da iniciativa do Ruanda de utilizar o turismo sustentável, como um veículo para implementar mudanças conservadoras a longo prazo. Através do esquema de partilha de receitas do turismo, as receitas do passeio dos gorilas no Parque Nacional dos Vulcões revertem a favor da protecção da vida selvagem. Não se trata apenas dos gorilas - agora com a cada vez maior abolição da caça furtiva, também já foram re-introduzidos os leões e rinocerontes negros orientais nas sua zona de safari, transformando a nação, mais uma vez, num país de 5 estrelas no que diz respeito à sustentabilidade.

antiga.jpeg

A mais ensolarada das ilhas na Caraíbas Orientais

As belas praias, incluindo a famosa areia rosa de Barudas e as águas quentes que rodeiam a ilha de Antígua e Barbuda, são um chamariz para a maioria dos turistas, mas as suas belas zonas costeiras são apenas o começo. O país tem demonstrado um verdadeiro compromisso com o ambiente e a sustentabilidade, desde a sua proibição de sacos de plástico e produtos de poliestireno, até ao estabelecimento do "Corredor Verde" - uma selecção de hotéis, resorts e empresas amigas do ambiente que se estendem ao longo da costa sudoeste de Antígua até à povoação de John Hughes.

costa rica.jpeg

O domínio da natureza, protegida pela UNESCO

Aqui, entre o Oceano Pacífico e o Mar das Caraíbas, mais de um quarto desta nação centro-americana é colocada de lado como parques e reservas protegidas, que constituem uma salvaguarda preciosa contra a desflorestação e o abate de árvores. Três das áreas e parques nacionais de conservação do país são protegidos pela UNESCO, e grande parte da sua electricidade é obtida de forma renovável. Sendo o lar para quase seis por cento das espécies do mundo, a Costa Rica é um líder mundial na protecção da biodiversidade e é um destino de férias de sonho, onde certamente encontrarão um deslumbrante elenco de vida selvagem em cada canto. Informem-se mais com a Direcção de Turismo da Costa Rica.

Data da publicação deste artigo - 25/10/2021

Texto: Exposer Magazine 

Fotografia: Fotolia